terça-feira, setembro 21, 2010

Que Desafios ao Novo SG da OJM?

Começou a corrida rumo a eleição do novo Secretário Geral da Organização da Juventude Moçambicana. Eh público que Basílio Muhate manifestou já, formalmente, a intenção de se candidatar ao cargo de OJM, com a pretensão de "imprimir nova dinâmica no seio da organização, motivando-a para enfrentar os desafios da actualidade: pobreza, habitação, empreendedorismo e o elevado custo de vida."

Impõe-se, de facto, a necessidade de imprimir uma nova dinâmica no seio da organização; o assumir de uma postura mais irreverente (própria da juventude) quer no discurso, quer nas acções a empreender, que galvanizem a juventude quer no seio do Partido Frelimo quer fora deste.

Fora do Partido Frelimo? Sim. Tenho a convicção de que uma OJM com uma orientação clara, com um projecto exequível e um conhecimento profundo dos desafios que se afiguram pode aglutinar a volta de si mais do que os jovens frelimistas mas, também, os que não se revêem em nenhum partido ou mesmo os que são membros de outros partidos.

É que, penso eu, não existem problemas e/ou soluções exclusivas à juventude da Frelimo. Existem desafios comuns de uma juventude que pode, a maioria dela, se rever na “nova” OJM a emergir das eleições que se avizinham, assumindo como seu um projecto que esta “nova” OJM oferecer a juventude.

Nesta perspectiva, é de louvar o discurso do, até agora, único candidato conhecido (pelo menos por mim) nesta corrida que aposta numa “OJM que seja parte integrante da solução dos problemas do país,” “aberta e inclusiva, englobando os diferentes estratos sociais” ao mesmo tempo que quer “juntar toda a camada juvenil” para atacar os problemas que afligem a juventude do país.

Esta postura, a vingar, será benéfica a toda uma classe. A OJM, ao juntar no diálogo anunciado “toda a camada juvenil” para a compreensão dos desafios do momento, chave mestra para a concepção de soluções eficazes, poderá constituir-se e/ou tornar-se num espelho no qual a juventude se reveja na busca de soluções para os seus problemas, e como interlocutor válido a todos os níveis, incluindo dentro da estrutura que actualmente define e concebe as principais políticas do país.

Tudo isto requer um programa arrojado; um programa assente num estudo profundo dos desafios do momento e numa capacidade de colocar os desafios e as soluções propostas na agenda dos decisores a nível nacional.

Isto também requer um discurso forte e irreverente que, sem quebrar com as normas internas da organização maior a que pertence, mostre que se trata de uma organização com princípios, normas e causas por defender. Um discurso que não soe a repetição do discurso do Partido, mas um discurso que possa, inclusive, influenciar ele mesmo o discurso da organização maior que é este último.

Portanto, entendo que o desafio maior é o da afirmação cada vez mais expressiva da OJM como potencial líder de uma juventude sedenta de soluções para os inúmeros desafios com que se depara. Deverá pois a OJM assumir o desafio de fazer uma revolução no seu funcionamento, discurso, postura e engajamento que produza a viragem que fará desta histórica organização líder de uma juventude sedenta disso mesmo: liderança.

A causa maior da OJM é a própria juventude com os seus desafios de momento. Parece que o Basílio quer assumir esta causa. Esperemos pelos que lhe seguirão na manifestação de interesse em liderar esta histórica organização.

Pena que caminho para os 35… mas não deixarei de apoiar quem quer um projecto assim. Me parece que o Basílio o quer e, acredito, um projecto assim sera abracado nao so por pessoas de dentro do Partido a que pertence mas, também, de fora deste.

Share/Save/Bookmark

4 comentários:

Duarte Fernandes Pinto disse...

Que blog fantástico para quem ama Moçambique!!! Parabéns!!!
Visitem também este blog português relacionado com a aviação e a Fotografia Aérea de Portugal:
A Terceira Dimensão - Fotografia Aérea de Portugal
Obrigado

Nelson L.B. Maximiano disse...

The impact of Structural Reforms in Economic Development: The Case of Fiscal Reforms in Mozambique and its Impact on Project Management and Financial Investments.

Proposed Abstract: Mozambique is a case of success in terms of economic recovery due to initially complex structural reforms that first where grounded on an attempt to increase investment not based on savings increase yet by allowing private investment to be promoted by contractual debt structure.
It is a fact that the privatization process was initially a bargain from top government officers in order to lead, buy and facilitate industrial seiling of farms, public enterprises and houses. The process was lead in such a way that it had to be rescheduled and remade attepting to strike basic determinants of economic growth and to improve development standards. This approach is meant to regard outstanding results once the country started to implement economic reforms.
The subject of the study is Mozambique. The proponent wants to differentiate, distinguish and clarify the origins, objectives and outcomes of structural reforms. Economic Development should be the basic indicator, used through different measures of economic development, that one observes in order to assess the long-term impact of structural reforms.
The argument of this piece is that the main issue on improving economic development is to adress debt credits to crucial areas of economic development. However, successful implementation of structural reforms should have accelerated the emergence of a new, larger and vibrant economy. I believe this is not the case of Mozambique.
The main task focus on how do we guarantee that structural reforms lead to economic development in the case of policy failures, noisy implementation strategies and inapt economic models. Economic reforms should light up some solutions and this is the mainstream of the paper: to see if fiscal reforms that took place in Mozambique since 1996 to 2010 had a significant and positive impact on Project Management and Financial Investments.
Suggestion is made that recent fiscal reforms were crucial on updating Mozambique and other African countries on global financial and investment environment.

Webston Moura - contatowebston@gmail.com disse...

Gostei do teu blog!

Sugestão: http://professorubiratandambrosio.blogspot.com/

............................

Michell Niero disse...

Antes de tudo parabéns pelo blogue. Iniciativas como essas rareiam na Internet. Espero que o projeto prossiga.

Gostaria de convidar todos os contributores do blog para participar de meu projeto O Patifúndio (www.opatifundio.com/site)

Mantenho há quatro anos esta revista virtual cujo objetivo principal é tratar das diferentes culturas que se comunicam pela língua portuguesa ao redor do mundo.

Seria um prazer contar com a participação de vocês.

Outra pergunta: posso republicar, com os devidos créditos, artigos do projeto de vocês?

Se puder, me responda pelo email michellniero@opatifundio.com

Um grande abraço do Brasil

Michell Niero